Em um mês, COVID-19 derruba em 89% a movimentação de cargas do setor automotivo, diz IBPT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Com grande queda no volume de transporte, setor automotivo tem mais um obstáculo a enfrentar

Fonte: Garagem de Bolso

O Instituto Brasileiro de Tributação e Planejamento, IBPT, em seu último estudo trouxe os dados referentes a movimentação de cargas no país, comparando o período de isolamento social com os meses anteriores.

Para o head de estudos do IBPT e do Empresômetro Inteligência de Mercado, Gilberto Luiz do Amaral, é possível acompanhar, através dos dados públicos do mercado brasileiro, inclusive as notas fiscais eletrônicas, o cenário do setor de logística de cargas.

“A nossa metodologia levou em conta a quantidade e valor das Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e) emitidas desde janeiro de 2018, com comparativo mês a mês, até a primeira quinzena de abril de 2020, identificando a queda nos diversos setores da economia”, diz o consultor.

A maior variação negativa foi do setor automotivo, incluindo além das montadoras também a cadeia de matérias primas, peças e acessórios para veículos e por conseguinte a distribuição e varejo. A queda do setor foi superior a 89%, isto é, durante o primeiro mês de restrições, 16 de março a 15 de abril, houve uma redução estrondosa na movimentação de cargas destinadas ao mercado automotivo. 

A indústria como um todo foi também muito afetada pela pandemia, com uma perda de mais de 79% na movimentação de cargas do setor.

Mas, outros setores foram beneficiados. Segundo as informações retiradas do estudo, o e-commerce, medicamentos e supermercado cresceram, 46%, 23% e 11% respectivamente.

“Esse crescimento é resultado direto das restrições impostas para a redução do contágio, uma vez que, com grande parte do comércio fechado, o consumidor buscou na internet uma forma de adquirir esses produtos, aumentando a circulação dessas cargas”, explica Amaral.

Quinzenas

A primeira quinzena do mês de abril foi trágica para o transporte de cargas no país, segundo dados do IBPT, em comparação com o mesmo período do ano anterior, com uma diminuição de mais de 40% no volume de notas fiscais emitidas e queda de 44% no valor das cargas transportadas.

Tomada de decisões

Segundo Gilberto Luiz do Amaral, o intuito desse estudo é servir de balizador de decisões para as empresas do país, que precisam ajustar suas políticas internas e de investimento à nova realidade global.

O especialista concluiu que “é necessário identificar toda a extensão da pandemia no mercado brasileiro, não só do período já decorrido, mas também dos próximos meses, de forma a estabelecer linhas estratégicas para superar a enorme crise que se instalou no mundo”. 

Confira a matéria completa em: https://www.garagemdebolso.com.br/materia/627/em-um-mes-covid-19-derruba-em-89-a-movimentacao-de-cargas-do-setor-automotivo-diz-ibpt/ 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre o IBPT

Os estudos do IBPT são referências no mercado e visam identificar a carga tributária dos diversos setores da economia brasileira ou de uma empresa, especificamente. Eles fornecem um diagnóstico da tributação que incide sobre determinadas atividades, com dados suficientes para implementar uma gestão tributária e aumentar a competitividade. Realizamos pesquisas corporativas e de setores específicos para reduzir o peso dos tributos por meio de uma gestão tributária eficiente.

Posts Recentes

Siga-nos

No Youtube

Fique por dentro do IBPT

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades.




    yes

    Close Bitnami banner
    Bitnami