Estudo do IBPT mostra que o Brasil está entre os países com piores índices na devolução dos impostos sob a forma de serviços à população.

A reportagem veiculada no Jornal da Globo abordou o mais recente estudo do IBPT, que realiza um cálculo visando encontrar o Índice de Retorno de Bem-Estar à Sociedade (IRBES). Essa equação incorpora a carga tributária, o Produto Interno Bruto (PIB) e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). De maneira prática, o estudo avalia se os recursos arrecadados são empregados de forma eficaz para aprimorar a qualidade de vida das pessoas. Entre os 30 países analisados, o Brasil ocupou a última posição.

O presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, ressalta que, ao considerar a aplicação desses recursos em investimentos voltados para melhorar a qualidade de vida da população como um todo, observa-se uma notável escassez nesse sentido. Ele destaca cortes em setores cruciais como educação, saúde e outros aspectos essenciais para a melhoria da qualidade de vida da população. Esses dados impactantes refletem a complexidade enfrentada por cidadãos e empresas em suas rotinas diárias.

Países com melhores índices

A Irlanda, pelo quinto ano consecutivo, apresentou o melhor índice de retorno ao bem-estar da sociedade. Na sequência, vêm Suíça, Austrália, Estados Unidos e Coreia do Sul.

“Nós estamos na 12ª edição e entre os países de maior carga tributária, na qual o Brasil se inclui desde a primeira edição até agora, o Brasil é o último colocado. Ou seja, é o país que tem uma carga alta e um retorno muito ruim”, afirma.

Estados brasileiros

Neste ano, pela primeira vez, o IBPT traz também uma análise detalhada sobre o desempenho dos estados brasileiros. E a balança entre as regiões do país mais uma vez é bem desequilibrada.

As cinco melhores unidades federativas são Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná. Lá embaixo, estão Bahia, Maranhão, Alagoas, Rondônia e Amazonas.

“Dá para enxergar, com números, ninguém pode confrontar, que os estados bem melhores no retorno o desenvolvimento são os estados da região sul e sudeste. Por quê? Principalmente pela grande concentração da industrialização, comércio e prestação de serviço nesses estados”, ressalta João Eloi.

Fonte: Jornal da Globo


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre o IBPT

Os estudos do IBPT são referências no mercado e visam identificar a carga tributária dos diversos setores da economia brasileira ou de uma empresa, especificamente. Eles fornecem um diagnóstico da tributação que incide sobre determinadas atividades, com dados suficientes para implementar uma gestão tributária e aumentar a competitividade. Realizamos pesquisas corporativas e de setores específicos para reduzir o peso dos tributos por meio de uma gestão tributária eficiente.

Posts Recentes

Siga-nos

No Youtube

Fique por dentro do IBPT

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades.




    yes

    Close Bitnami banner
    Bitnami