Material escolar com quase 50% de imposto, segundo IBPT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O início do ano letivo é um período preocupante para os pais, principalmente quando eles recebem a lista do material escolar dos seus filhos. A educação deveria ter um retorno melhor, em relação à qualidade dos serviços públicos aos cidadãos, diante de tantos tributos pagos.

Fonte: IBPT

O início do ano letivo é um período preocupante para os pais, principalmente quando eles recebem a lista do material escolar dos seus filhos. A educação deveria ter um retorno melhor, em relação à qualidade dos serviços públicos aos cidadãos, diante de tantos tributos pagos. Infelizmente, não é o que acontece. Além do que, é um dos itens que mais causam impacto no orçamento familiar, de acordo com o presidente executivo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT, João Eloi Olenike.

Portanto o dirigente recomenda que, antes de sair às compras, é preciso pesquisar os melhores preços e também a qualidade dos produtos, visto que a carga tributária vai estar presente em todos eles, sendo que em alguns itens ela equivale a quase metade do preço do produto, como a caneta, que tem 47,49% de impostos e a régua com 44,65%.

O levantamento feito pelo IBPT considera a incidência tributária em outros itens da lista escolar, como por exemplo, a cola (42,71%), o estojo (40,33%), a lancheira, (39,74%), o fichário (39,38%), o papel sulfite (37,77%), a agenda (43,19%), e o caderno (34,99%), todos esses encargos são embutidos nos preços dos produtos apenas para pagar os tributos federais, estaduais e municipais.

A exceção ocorre nos livros didáticos, que, apesar de possuírem imunidade de impostos, a incidência de encargos sobre a folha de pagamento e o sobre o lucro da sua venda, faz também com que tragam uma carga tributária de 15,52%.

“O Brasil é um dos poucos países do mundo que tributam a educação, os brasileiros poderiam ter uma melhor formação, se não fosse a alta carga tributária. Por serem itens de necessidade básica, a educação deveria ser menos tributada e muito mais acessível aos consumidores”, insiste Olenike.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre o IBPT

Os estudos do IBPT são referências no mercado e visam identificar a carga tributária dos diversos setores da economia brasileira ou de uma empresa, especificamente. Eles fornecem um diagnóstico da tributação que incide sobre determinadas atividades, com dados suficientes para implementar uma gestão tributária e aumentar a competitividade. Realizamos pesquisas corporativas e de setores específicos para reduzir o peso dos tributos por meio de uma gestão tributária eficiente.

Posts Recentes

Siga-nos

No Youtube

Fique por dentro do IBPT

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades.




    yes

    Close Bitnami banner
    Bitnami