Mesmo com desoneração do IPI nos automóveis, país registrou aumento da arrecadação em cinco anos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Estudo do IBPT comprova que o incremento na produção automotiva equilibrou a perda no recolhimento de tributos em 2009

Fonte: ASSCOM IBPT

De 2009 a 2013, o Brasil deixou de arrecadar R$ 6,1 bilhões de tributos devido à desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI sobre os automóveis, mas em contrapartida, no mesmo período, houve um incremento de arrecadação de R$11,8 bilhões, provenientes dos recolhimentos de PIS e COFINS sobre a venda de automóveis e veículos leves, conforme dados apurados pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação – IBPT. O estudo completo, que pode ser acessado no site www.ibpt.org.br, indica que apesar da queda da arrecadação referente ao IPI, o governo federal arrecadou a mais nestes cinco anos R$ 3,50 bilhões em tributos federais, somente com a venda de automóveis.

O presidente do Conselho Superior e coordenador de estudos do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, explica que “a queda foi compensada pela incidência de PIS e COFINS sobre a produção de automóveis. No mesmo período em que o governo concedeu o desconto no IPI, houve um incremento de 16,65% na indústria automotiva nacional, que passou de 3 milhões de unidades produzidas por ano, em 2008, para 3,5 milhões em 2013”, afirma o especialista, com base em estatísticas oficiais do setor. 

O estudo do IBPT demonstra ainda que a arrecadação de tributos federais por veículo produzido teve um aumento nos anos posteriores à concessão do benefício, alcançando o total de R$ 6.504,20 a cada veículo produzido em 2011 ante R$ 5.597,50 por automóvel fabricado em 2009.

Finalizando, Amaral afirma que “todos saíram ganhando com a desoneração do IPI. O setor produziu, vendeu e exportou mais, gerando mais empregos e impulsionando uma longa cadeia de matérias-primas, insumos e peças. O  governou federou  arrecadou mais tributos e os governos estaduais  aumentaram significativamente a sua receita de ICMS e IPVA. E a população brasileira pode ter acesso a veículos novos com mais itens de segurança e conforto”.

Gilberto Luiz do Amaral está à disposição para comentar o estudo. Para agendar uma entrevista com o especialista do IBPT, entre em contato com a De León Comunicações, nos telefones (11)5017-4090//7604 ou envie um e-mail para paloma@deleon.com.br.  

Clique aqui e faça o download do estudo na íntegra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sobre o IBPT

Os estudos do IBPT são referências no mercado e visam identificar a carga tributária dos diversos setores da economia brasileira ou de uma empresa, especificamente. Eles fornecem um diagnóstico da tributação que incide sobre determinadas atividades, com dados suficientes para implementar uma gestão tributária e aumentar a competitividade. Realizamos pesquisas corporativas e de setores específicos para reduzir o peso dos tributos por meio de uma gestão tributária eficiente.

Posts Recentes

Siga-nos

No Youtube

Fique por dentro do IBPT

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades.




    yes

    Close Bitnami banner
    Bitnami